Select Menu

Narrativas

Narrativas
» » A importância do Prelúdio
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga




A importância do Prelúdio

Em um jogo como o Mundo das trevas é muito importante preparar o prelúdio do personagem, este vai ser de fundamental importância para dar uma profundidade na hora de interpretar o seu personagem.

Prelúdio
O passado de uma pessoa é a base sobre a qual construir a sua personalidade, razão pela qual você deve ter alguma idéia de como era a vida antes de seu vampiro ser abraçado a fim de compreender quem ele é. O Prelúdio é uma espécie de história solo em que você se encontra com o Narrador para ler trechos da vida do vampiro antes do início da crônica. Ele serve como um elemento narrativo que pode ajudar a sua existência contendo detalhes da vida mortal e da personalidade do personagem até o momento do abraço.

Os Prelúdios são deveriam ser narrados como uma sessão normal, só que percorrem vários anos da existência do membro. Contento seus relacionamentos românticos, escola, trabalho, família, são alguns dos tipos de coisas que você poderia explorar em um prelúdio. Quando você consegue compreender e visualizar perfeitamente a sua história antes do abraço, alguns elementos do passado podem mudar radicalmente a sua existência futura como um vampiro.

O Prelúdio fornece um quadro para a crônica de referência para separar tudo o que os personagens são e a forma como eles reagem a determinados eventos. Sem ele, o vampiro não pode ser completo. Isso é algo rápido, como a página na qual o romancista apresenta uma visão geral da história de um personagem que só apareceu. É essencial compreender as suas motivações, mas não deve ser maior do que o necessário.

Em qualquer livro do Mundo das Trevas há exemplos de algumas perguntas que devem ser respondidas, afim de estimular ao jogador a criação de um Prelúdio, jogares e narradores que não tem o hábito de realizarem o Prelúdio, ao realizarem a primeira vez se assustaram com as várias possibilidades que um ato simples do passado pode oferecer.



Nos siga no Twitter @FilhosdaGehenna
Curta a FanPage Filhos Da Gehenna




Autor: Jan Piertezoon


A Mente maléfica por trás da criação do Blog Filhos da Gehenna, (ir)responsável pela narração da atual crônica do blog apresentado no podcast.  Aficcionado por jogos de interpretação, onde o sistema preferido para as minhas crônicas é o Storyteller & Storytelling. Um colecionador de livros de RPG e um grande consumidor de podcast. RPG Mainstream ou Indie não importa, jogo todos!!!


  

Autor Jan Piertezoon

A Mente maléfica por trás da criação do Blog Filhos da Gehenna, (ir)responsável pela narração da atual crônica do blog apresentado no podcast. Aficcionado por jogos de interpretação, onde o sistema preferido para as minhas crônicas é o Storyteller e Storytelling. Um colecionador de livros de RPG e um grande consumidor de podcast. RPG Mainstream ou Indie não importa, jogo todos!!!
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

5 Deixe seu relato!!!

  1. Sim Jan concordo plenamente que um prelúdio bem redigido faz muita diferença e não só para o narrador que terá diversos ganchos para a historia mas para o próprio jogador pois o nível de interação com o personagem se torna bem maior dando uma maior segurança e versatilidade na hora da ação. Esse assunto pode ser levado em consideração como tema de um futuro podcast

    ResponderExcluir
  2. Com toda certeza Roger um bom prelúdio da mais vida ao personagem

    ResponderExcluir
  3. Venho a concordar com ambos. O prelúdio é o princípio/início do personagem, é nele em que o jogador insere contextos introdutórios para que venha o acompanhar por toda a crônica, portanto deve ser pensado e redigido com qualidade a fim que o personagem tenha um certo destaque.

    ResponderExcluir
  4. Um problema comum em mesas de rpg em geral é a ansiedade de começar a jogar a trama principal, iniciar a narrativa, dessa forma o prelúdio acaba ficando um pouco esquecido.

    ResponderExcluir