Select Menu

Narrativas

Narrativas
» » » » » Dust Devils – Stories in the Old West na RedBox Editora
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga



Depois de jogar muito Red Dead Redemption fiquei com aquela vontade de narrar algum RPG na temática Western, tentei utilizar o Werewolf Wild West e Dead Lands mais ambos tem o fator sobrenatural muito presente o que não estava me agradando, dessa forma, peguei a aquele pequeno livreto de 70 páginas perdido em minha estante e era justamente o que seu estava procurando, o clima Western sem muitas firulas e com um sistema de jogo único e todos de minha mesa não tinham dúvidas do que jogar... Dust Devils. E a notícia que a Editora RedBox irá lançar Dust Devils em agosto /12 me deixou ainda mais entusiasmado com o que eles poderão produzir.


Bem, mais o que poderemos esperar de Dust Devils?
Dust Devils – Stories in the Old West foi desenvolvido por Matt Snyder, um dos inúmeros membros ativos do Fórum The Forge (onde encontramos diversas teorias de desenvolvimentos de jogos as quais muitos autores utilizam em seus jogos). È nítida a influência dos filmes de Western da década de 50~60, onde podemos encontrar um autêntico e inovador RPG Western, sem está envolvido com fatores sobrenaturais.
Com um tema onde os personagens devem trabalhar as dificuldades que serão impostas por seus próprios “Demônios Interiores” (Devils), ou seja, o passado de seu personagem terá uma grande importância em suas futuras ações. Imagine um soldado sulista tendo que conviver com as várias atrocidades que cometera durante a guerra civil americana, um bandoleiro que tenta redimir seus atos grosseiros no passado se aliando ao xerife local, um caçador de tesouros que ajuda uma família decadente, uma prostituta que muda de cidade em busca de uma nova identidade, um fazendeiro que busca vingança contra um grupo de criminosos que mataram sua família...essas são algumas das ideias trabalhadas com o meu grupo da última vez que jogamos Dust Devils.
A primeira versão de Dust Devils foi lançada em 2002 e continha apenas 25 páginas, já em 2006 temos uma atualização do sistema com muitas novidades e passa a ser nomeado Dust Devils – Stories in the Old West, contendo 70 páginas. Essa é a versão que possuo e a que será lançada pela RedBox Editora.

Criação de Personagem...
Para manter o clima Western o jogo aplica uma mecânica diferenciada nas resoluções de conflito, ou seja, abandonamos os dados e utilização baralhos em rodadas de pôquer. Temos quatro Atributos Básicos (Scores) e cada um está diretamente relacionado a um naipe do baralho. Hand (Mão) [Naipe Espadas]: diretamente relacionado às ações físicas, Eye (Olho) [Naipe Ouros]: diretamente relacionado à percepção e ao raciocínio do personagem, Guts (Coragem/Fibra) [Naipe Paus]: diretamente relacionado a resistência física, a saúde e personalidade do personagem e Heart (Coração) [Naipe Copas]: diretamente relacionado ao carisma e interação social.
Os personagens possuem duas características (Traits) que devem ser descritivas, uma citação curta que descreva alguma característica forte do personagem, logo em seguida os jogadores devem escolher o Passado e Presente (Past and Present) de seus personagens, descrevendo em uma frase simples cada um dos seus aspectos (essas características do sistema lembra um pouco o Sistema Acepção do RPG Terra Devastada do autor John Bogéa, claro que devemos manter a temática Western).
Concluindo a criação do personagem temos a característica marcante do jogo à criação da personalidade “O Demônio” (The Devil), o lado desagradável do personagem onde iremos encontrar o seu segredo obscuro, Dust Devils fornece alguns exemplos (assassino, manipulador, vingativo, cruel, covarde, mentiroso, solitário e outros).
Deve-se salientar que este aspecto da personalidade vem à tona em momentos críticos que podem resolver verdadeiros conflitos de vida ou morte.

Resolvendo conflitos...
O sistema de resolução é por conflito, e não por ação... ou seja, o sistema preza por estimular a dinâmica e a descrição. Será comum na mesa de jogo os personagens decidirem quem conseguirá vencer um duelo no pôr do sol de uma forma descritiva e não quem consegue acertar uma rajada de tiros por rodada.
Os sucessos são baseados na jogatina de pôquer, entre o Narrador, denominado como Carteador (Dealer), e os jogadores. O número de cartas de cada participante envolvido no conflito será determinado pelos Atributos Básicos (Scores), Características (Traits), Passado e Presente (Past and Present) e “O Demônio” (The Devil) utilizados na cena. A melhor mão vence e determina, inclusive, o dano que o lado perdedor levará. Em um único teste é determinado todo o resultado do conflito e depois terá seu desenrolar descrito. O charme do sistema está na utilização das fichas de pôquer para o jogador melhorar a sua mão de pôquer, diminuir o dano, fugir do conflito ou até tornar-se o Narrador da cena (apesar desta ideia utilizada ser semelhante a algumas características de Dead Lands).
Outro fator que chama atenção é a possibilidade do jogador narrar a “Cena de Morte” do personagem quando a mesma for inevitável, dessa forma, o jogador pode idealizar e narrar uma verdadeira Cena Épica para o seu personagem.

Cenário...
A descrição do cenário é bem curta, mais objetiva e cumpre perfeitamente o seu papel, além disso, cabe aos jogadores utilizarem toda a sua bagagem proveniente de filmes, jogos, livros, HQ’s (Tex), Séries (hell and wheels) e outros. Vale muito a pena realizar uma pequena pesquisa na internet assistir a alguns filmes e/ou séries, recomendo fortemente a série Hell and Wheels (AMC/2011) que passa perfeitamente a temática de Dust Devils.
Deve-se salientar que o capítulo dedicado ao Cenário, também é apresentado alguns cenários alternativos que podem utilizar as regras de Dust Devils mesmos em outros gêneros da ficção, com pequenas alterações:
Deathwish uma cenário que apresenta personagens espiões.
Ronin, de Jason Blair (autor de Little Fears), apresenta um Japão Feudal onde os personagens serão ronins (samurais).
Concrete Angels, de Jared Sorensen (autor de inSpectres), um cenário urbano e caóticas no estilo Sin City.

Lançamento de Dust Devils em Agosto/12 pela RedBox Editora!
Dust Devils é um excelente jogo e merece uma atenção especial e o anúncio da RedBox (Confira aqui o Trailer na FanPage da RedBox) em lançar o RPG em Agosto/12 me deixou muito entusiasmado espero que façam o mesmo trabalho que fizeram com Shotgun Diaries ao lançarem com um acabamento impecável, tive um gasto amais ao comprar um baralho e as fichas de pôquer para jogar Dust Devils, não que seja realmente necessário pode se utilizar qualquer baralho e as fichas de pôquer podem ser substituídas por qualquer marcado, ou seja, quem sabe teremos uma edição de luxo com fichas de pôquer e baralho personalizado em uma caixa de acrílico (viajei legal).
Estou ancioso por mais esse lançamento da Editora RedBox e recomendo a todos, pois é um RPG de fato que todo rpgista deve jogar e ter em sua estante.

Confira mais informações no site da RedBox Editora, no RedBlog, na Fanpage e sigam a editora no twitter.

video


Nos siga no Twitter @FilhosdaGehenna

Curta a FanPage Filhos Da Gehenna




Autor: Jan Piertezoon
A Mente maléfica por trás da criação do Blog Filhos da Gehenna, (ir)responsável pela narração da atual crônica do blog apresentado no podcast.  Aficcionado por jogos de interpretação, onde o sistema preferido para as minhas crônicas é o Storyteller & Storytelling. Um colecionador de livros de RPG e um grande consumidor de podcast. RPG Mainstream ou Indie não importa, jogo todos!!!

Autor Jan Piertezoon

A Mente maléfica por trás da criação do Blog Filhos da Gehenna, (ir)responsável pela narração da atual crônica do blog apresentado no podcast. Aficcionado por jogos de interpretação, onde o sistema preferido para as minhas crônicas é o Storyteller e Storytelling. Um colecionador de livros de RPG e um grande consumidor de podcast. RPG Mainstream ou Indie não importa, jogo todos!!!
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

1 Deixe seu relato!!!

  1. Bem, interessante essa dica, seu maniaco, mais um ponto para os jogos narrativistas! Só não espero ser uma moda passajeira!!!
    Ass: Stenio

    ResponderExcluir