Select Menu

Narrativas

Narrativas
» » » Cloud Atlas - Resenha
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga




Depois de muito tempo não saía do cinema querendo chegar em casa para buscar por informações sobre o filme que acabará de assistir... Pois bem assisti um dos filmes mais comentados na blogosfera: Cloud Atlas. 1 livro, 3 diretores e 6 estórias que entrelaçam passado, presente e futuro. Muitos já devem ter assistido o filme, ano passado, pois ele estreou em outubro/dezembro nos Estados Unidos e como sempre, a internet nos reserva essa possibilidade de “compartilhar” informações de modo beeeem rápido. Essa é uma resenha ao qual quero apresentar aos narradores que vão assistir ao filme, observar o quanto uma historia pode ser narrada de diversas formas e em tempos distintos.

Cloud Atlas é uma adaptação do livro do escritor David Mitchell, direção dos irmãos Wachowski – Paul "Andy" Wachowski e Lana Wachowski, anteriormente chamada Laurence "Larry" Wachowski e o alemão Tom Tykwer (Corra, Lola, Corra, Trama Internacional). Esse grupo de talentos distintos produziram um espetáculo visual e o principal uma rede de estórias que deixa o expectador atento do início ao fim da película.

As estórias de Cloud Atlas possuem personagens complexos que irá exigir uma atenção especial do expectador, não levante para ir ao banheiro ou você perderá muita informação, a cada cena o público vai montando o quebra-cabeça que irá culminar em um final revelador. A transição do filme entre passado, presente e futuro sempre mantendo os mesmos atores em períodos diferentes, o que já instiga o espectador a tentar reconhecer os atores a cada episódio da estória, pois a maquiagem é um trabalho espetacular. Este recurso na narrativa da estória tem a função de enfatizar que cada escolha feita repercute no futuro, seja próximo e/ou distante, que por sua vez, reflete uma situação do passado. 

E como já de costume do Irmão Wachowski, Cloud Atlas aborda outros temas como o fato da raça humana estar interligada através dos tempos independente do continente em questão ou do universo, ou seja, somos ao mesmo tempo passado, presente e futuro.

Realmente Cloud Atlas é um filme de uma narrativa instigante, com cenas de qualidade visual incrível e vale um momento de reflexão do expectador. 

Não tenho como negar que após sair do cinema estava com uma grande vontade de jogar Mago: A Ascensão, pois temos várias dicas de como a Entropia trabalha silenciosamente.





Só para quem já assistiu ao filme, veja o infográfico revelando os atores em suas personagens em cada época.







Ficha técnica
Diretor: Tom Tykwer, Andy Wachowski, Lana Wachowski
Elenco: Tom Hanks, Halle Berry, Hugo Weaving, Jim Sturgess, Susan Sarandon, Hugh Grant, Ben Whishaw, Keith David, Jim Broadbent, James D’Arcy, Götz Otto, Zhu Zhu, Doona Bae, Xun Zhou, David Gyasi, Alistair Petrie, Daniele Rizzo, Brody Nicholas Lee, Mya-Lecia Naylor, Louis Dempsey, Robin Morrissey, Raevan Lee Hanan, Valerie Lillibeth, Laura Vietzen, Lyly Schoettle, Charly Yoon, Korbyn Hawk Hanan, Liz Strange, Barry Van Lee, Alexander Yassin
Produção: Stefan Arndt, Grant Hill, Tom Tykwer, Andy Wachowski, Lana Wachowski
Roteiro: Tom Tykwer, Andy Wachowski, Lana Wachowski
Fotografia: Frank Griebe, John Toll
Trilha Sonora: Reinhold Heil, Johnny Klimek, Tom Tykwer
Duração: 172 min.
Ano: 2012, 2013 (Brasil)
País: EUA, Alemanha, Hong Kong, Cingapura
Gênero: Drama
Distribuidora: Imagem Filmes
Estúdio: Anarchos Productions / Media Asia Films / X-Filme Creative Pool / Asacine Produções / Five Drops / A Company Filmproduktionsgesellschaft
Site oficial: cloudatlas.warnerbros.com



Nos siga no Twitter @FilhosdaGehenna

Curta a FanPage Filhos Da Gehenna



Autor: Jan Piertezoon
A Mente maléfica por trás da criação do Blog Filhos da Gehenna, (ir)responsável pela narração da atual crônica do blog apresentado no podcast.  Aficcionado por jogos de interpretação, onde o sistema preferido para as minhas crônicas é o Storyteller & Storytelling. Um colecionador de livros de RPG e um grande consumidor de podcast. RPG Mainstream ou Indie não importa, jogo todos!!!


Autor Jan Piertezoon

A Mente maléfica por trás da criação do Blog Filhos da Gehenna, (ir)responsável pela narração da atual crônica do blog apresentado no podcast. Aficcionado por jogos de interpretação, onde o sistema preferido para as minhas crônicas é o Storyteller e Storytelling. Um colecionador de livros de RPG e um grande consumidor de podcast. RPG Mainstream ou Indie não importa, jogo todos!!!
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário

Comentarios