Select Menu

Narrativas

Narrativas
» » » » RESENHA - Wild Cards: O Começo de Tudo
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga


Terminei de ler Wild Card: O Começo de Tudo – Vol. 01, lançado no Brasil pela Editora Leya e posso afirmar que foi uma leitura agradável e já estou na expectativa da continuação e principalmente com uma grande vontade de jogar GURPS SUPERS, pois no final do livro de GURPS SUPERS temos o Cenário Cartas Selvagens como ponto de partida para as aventuras dos jogadores.

Antes de explanar sobre a Franquia Wild Cards / Cartas Selvagens vamos conhecer um pouco mais sobre o livro Wild Cards: O Começo de Tudo.

Tendo em mente que Wild Cards nasceu como um grande cenário para as aventuras de RPG do George R. R. Martin, iremos encontrar detalhes e características que expandem para uma grandiosa saga.


Na trama de Wild Cards: O Começo de Tudo, ocorre que durante o período da Primeira Guerra Mundial uma nave alienígena chega a Terra, e sua interferência alterar a História como a conhecemos, diversos fatos alternativos conduzidos por essa raça alienígena, que geneticamente se assemelha aos humanos tendo em sua posse a Carta Selvagem.

A raça alienígena traz consigo uma arma biológica extraterrestre, que foi denominada de Carta Selvagem pela raça humana. Essa arma biológica extraterrestre é liberada na atmosfera, causando a morte de grande parte dos humanos que não suportaram as alterações em seus corpos causadas por essa arma biológica, o intuito não era de causar a morte dos seres humanos, mas sim, força-los a evoluir.

Os humanos que conseguiram sobreviver à exposição da Carta Selvagem transformam-se em uma espécie de mutantes com super poderes. Esses mutantes são responsáveis por mudar drasticamente os rumos da Primeira Grande Guerra.

No Wild Cards: O Começo de Tudo, iremos reconhecer alguns traços característicos das obras de George R. R. Martin, ou seja, muitos personagens que são apresentados de formas bem complexas que deixa o leitor vagar por suas lembranças e diálogos inteligentes e muitos deles são extremamente carismáticos, mas com o desenvolvimento da trama alguns desaparecem.

Em suma o livro Wild Cards: O Começo de Tudo é composto por ”contos/capítulos” organizados em ordem cronológica, cada um desses contos é escrito por um autor diferente, mas todos participaram das narrativas de George R. R. Martin no RPG. Essa forma em que a trama é desenvolvida pode não agradar a muitos, mas para os fãs de RPG e do Martin conseguiram superar esses pequenos fatores.

Os Autores...
Tempos Selvagens, autor Studs Terkel;
Trinta Minutos Sobre a Broadway, autor Howard Waldrop;
O Dorminhoco, autor Roger Zelazny;
Testemunha, autor Walter Jon Williams;
Ritos de Degradação, autor Melinda M. Snodgrass;
Capitão Cátodo e o Ás Secreto, autor Michael Cassutt;
Powers, autor David D. Levine;
O Jogo da Carapaça, autor George R. R. Martin;
A Noite Longa e Obscura de Fortunato, autor Lewis Shiner;
Transfigurações, autor Victor Milán;
Bem Fundo, autor Edward Bryant e Leanne C. Harper;
Fios, autor Stephen Leigh;
A Garota Fantasma Conquista Manhattan, autor Carrie Vaughn;
Chega o Caçador, autor John J. Miller;
Terceira Geração, autor Lewis Shiner.

Antes da Editora Leya investir no universo de Cartas Selvagens, a Editora Globo publicou aqui no Brasil, em formato de minissérie de histórias em quadrinhos em meados de 1992. Mas podemos afirmar que o primeiro contato do público brasileiro com Cartas Selvagens foi com o Gurps Supers.

Durante 1987 a 1993 foram publicados 12 volumes, sendo esses volumes considerados o primeiro arco de história de Cartas Selvagens, foram esses volumes responsáveis em abastecer os quadrinhos e o Gurps Supers em suas tramas. Atualmente Cartas Selvagens se encontra em seu vigésimo sexto livro. Por ter esse formato de contos/capítulos diversos escritores forma sendo convidados a escrevem para a série, entre eles temos Chris Claremont, roteirista de diversas histórias de X-Men; Michael Cassut, produtor e roteirista de Twilight Zone, Stargate SG-1 e Farscape; Melinda Snodgrass, roteirista de Star Trek: The Next Generation, Odyssey 5.

A Green Ronin Publishing adquiriu os diretos de Cartas Selvagens e publicou o RPG como suplemento para Mutante e Malfeitores, realizando uma atualização no cenário até os eventos do volume 20 (informação a confirmar), atualmente no Brasil a Jambô Editora tem os direitos de Mutante e Malfeitores, seria ótimo se eles pudessem publicar esse suplemento.




Autor: Jan Piertezoon
A Mente maléfica por trás da criação do Blog Filhos da Gehenna, (ir)responsável pela narração da atual crônica do blog apresentado no podcast.  Aficcionado por jogos de interpretação, onde o sistema preferido para as minhas crônicas é o Storyteller & Storytelling. Um colecionador de livros de RPG e um grande consumidor de podcast. RPG Mainstream ou Indie não importa, jogo todos!!!
  

Autor Jan Piertezoon

A Mente maléfica por trás da criação do Blog Filhos da Gehenna, (ir)responsável pela narração da atual crônica do blog apresentado no podcast. Aficcionado por jogos de interpretação, onde o sistema preferido para as minhas crônicas é o Storyteller e Storytelling. Um colecionador de livros de RPG e um grande consumidor de podcast. RPG Mainstream ou Indie não importa, jogo todos!!!
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário

Comentarios