Select Menu

Narrativas

Narrativas
» » » » » Designer de Jogos: Lucas Vieira & o RPG Dantum
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga


Com diversos concursos de criação de jogos e de cenários para RPG, muitos entusiastas do hobby passaram a desenvolver e colocar a disposição de todos na internet as suas criações. Foi-se o tempo em que os “designer caseiros” desenvolviam o seu jogo e apresentava, quando apresentava, apenas para o seu grupo regular de jogo.

Concursos como – o Faça Você Mesmo da Secular Games, o Seu Mundo na Redbox Editora e o Game Chef Brasil, foram responsáveis em dar visibilidade a esses novos designers de jogos.

É um fato comum que diversos narradores gostam de elaborar seus cenários onde desenvolvem as suas narrativas nas sessões de RPG, outros vão ainda mais longe e criam um sistema de RPG, ás vezes bastante original, outros utilizam a base de outro sistema criando retroclones, como o Old Dragon da Redbox Editora ou um hack como o Mundo das Trevas Fantasia do Dan Ramos

Com todo esse conteúdo em mente, o Blog Filhos da Gehenna decidiu acompanhar todo o desenvolvimento do RPG Dantum do autor Lucas Vieira.

Conheci o Lucas Vieira no encontro semanal da Vila do RPG, realizado na Livraria Feira do Livro, e quando estava narrando uma sessão de Guerra dos Tronos RPG, do qual Lucas participava, ele solta a seguinte idéia – tenho um sistema de RPG, mas não sei como apresentar aos jogadores – na hora já fiquei interessado, pois era uma excelente oportunidade de acompanhar o desenvolvimento de um jogo, o tempo passou e só agora seis meses depois o jogo começa a ser moldado.

Mas antes de conhecer o RPG Dantum, vamos conhecer o autor Lucas Vieira, confiram a entrevista.
Lucas Vieira - o primeiro da direita para esquerda

FILHOS DA GEHENNA (FG): Bem vamos começar com a costumeira pergunta... Quem é Lucas Vieria?
Lucas Vieira (LC): Lucas Viera é um estudante de Filosofia da UECE viciado em filmes e livros de fantasia fantástica. Sou um blogueiro nas horas vagas (nas horas vagas mesmo), sou caster e gosto de escrever coisas a qual eu nunca pretendo publicar.

FG: Fale um pouco sobre o Oficina do Diabo e o Oficinacast?
LC: O oficina surgiu em uma conversa de bar com um grande amigo Thales ( O gárgula ). Na conversa percebemos que falávamos muita besteira e que seria legal pulicar isso em forma de blog e mais tarde em forma de podcast. O Thales não participa por motivos de distância e tempo, mas conto com a ajuda de Rickson que além de editor cuida do layout do blog e que me ajuda na arte de Dantum, ele é um grande achado para meus projetos. Conto com ajuda do Victor de Oliveira que é um grande amigo e que sempre participa do Oficinacast. O Oficinacast é mais para uma diversão pessoal, não queremos transforma isso em um negócio, não ainda. Teremos novos membros para o Oficinacast, mais isso ainda é só para o próximo ano. Então, se você quer ouvir a gente falando muita besteira nos visite, o Oficinacast é um podcast quinzenalmente. O Oficinacast serve para descarregar o nosso estresse diário, espero que faça isso com quem está ouvindo também.

FG: A quanto tempo joga RPG?
LC: Jogo RPG a onze anos, meu primeiro jogo foi o 3D&T e já comecei como mestre, eu era horrível mestrando. Virei jogador logo quando apareceu alguém para narrar. Meu primeiro mestre foi Milton Figueredo que me ensinou tudo que sei sobre RPG e sobre criação de RPG. Já que ele também tem projetos de sistemas próprios.

FG: O que tem jogado atualmente? Mantém algum grupo regular?
LC: tenho jogado Tormenta RPG e jogo quinzenalmente com um grupo fixo na Vila do RPG.

FG: Quem você admira no atual cenário do RPG em Fortaleza – CE?
LC: Admiro o trabalho do pessoal do Vila do RPG que sempre faz ótimos eventos cada vez mais mostrando nosso hobby para novas pessoas não deixando o RPG se estagnar aqui em Fortaleza. E também o Jan Piertezoon (puxando o saco) por está fazendo um blog que fala de tudo um pouco que acontece aqui na cidade e que ajuda no ingresso de novos projetos de RPG.

FG: Como você apresentaria Dantum para um jogador?
LC: Se eu for falar de Dantum para gente que já joga há muito tempo RPG eu diria que Dantum traz uma mecânica mais versátil, além de trazer raças totalmente novas (não existindo elfos, anões...) para sair um pouco da mesmice da fantasia. Para quem nunca jogou RPG ou jogou pouco eu diria que Dantum traz um sistema fácil e rápido onde não é necessário pegar um livro gigante e passar meses lendo para aprender como atacar. Um jogo fácil, divertido e com uma mecânica rápida e com várias possibilidades. 

FG: O RPG Dantum foi o seu primeiro projeto de elaboração de jogo?
LC: Sim, Dantum surgiu primeiro como cenário e depois foi se transformando aos poucos em um sistema.

FG: Quais foram as suas influencias na elaboração do RPG Dantum?
LC: Principalmente D&D e por incrível que pareça um mangá chamado Berserk. O mangá me ajudou a criar o ambiente e lendo ele muita mecânica de jogo surgiu.

FG: Por que elaborar um sistema de RPG, se temos diversos no mercado?
LC: Não criei Dantum para competir ou ser melhor que sistema A ou B. Dantum surgiu como uma brincadeira que se transformou em algo sério. O cenário que criei necessitava de um sistema próprio e meus jogadores cobraram isso. E foi assim que surgiu ele. Minha mesa de jogadores queria jogar algo novo e diferente no cenário que eu tinha criado e o sistema faz uma ligação muito forte com o cenário o que faz com que Dantum, cenário e sistema, formem uma coisa só.

FG: Quais foram as maiores dificuldades para desenvolver o RPG Dantum?
LC: A maior dificuldade é não fazer Dantum se parecer com nenhum sistema já criado. O cenário foi o mais fácil, talvez por eu já escrever e ler bastante tenha ajudado. Já o sistema teria que ser algo novo e menos mecânico, algo mais rápido que o jogador possa fazer inúmeras coisas, não só atacar ou defender. Por isso Dantum demorou tanto para ser finalizado.

FG: Quais são os seus sistemas / cenários de RPG preferido?
LC: D&D 3.5, Mundo das trevas, Dragon Age e Old Dragon.

FG: Você já narrou ou jogou alguma sessão do seu RPG Dantum?
LC: Já narrei Dantum para um grupo fixo que tinha encontros semanalmente. Quero até agradecer a todos eles, pois eles são tão responsáveis por Dantum quanto eu. O grupo está parado, mas está próximo de voltar. Nunca joguei e quero muito, vai ser outra visão da minha criação que queria vê e sentir. O dia que irei jogar ele está cada vez mais próximo.

FG: Quais os futuros projetos de Lucas Viera e qual o futuro do RPG Dantum?
LC: Atualmente estou escrevendo um romance, além de projetos de roteiros de HQs, também pretendo trabalhar outro cenário junto com um parceiro, mas isso ainda é segredo. Dantum além de ganhar um livro de RPG também vai ganhar um romance para aprofundar mais ainda o cenário. E estou vendo um projeto para “expandir o universo” de Dantum, a criação de um Board Game de Dantum.

FG: O que realmente irá encantar os jogadores no RPG Dantum?
LC: A mudança de ares, creio que está na hora dos jogadores saírem dos clássicos e dar uma volta em algo novo. Pisar em um mundo totalmente novo e com tantas possibilidades já é algo encantador.

FG: Quando será realizado os próximos playteste do RPG Dantum?
LC: O primeiro palyteste aberto ao público acontecerá no FORPG nos dias 21 e 22 de dezembro as 10:00.

FG: Para encerrar quero agradecer por ceder essa entrevista para o Blog Filhos da Gehenna e pessoalmente estou ansioso para ver como ficou o material. Deixe um convite para os webespectadores comparecerem ao FORPG onde será realizado o playteste do RPG Dantum. 
LC: A todos vocês que estarão em Fortaleza nos dias 21 e 22 de dezembro faço um convite para irem jogar o playtest de Dantum e conferir o que o sistema traz para os jogadores, ficarei muito feliz com a presença de vocês. Quero agradecer ao blog Filhos da Gehenna por abrir esse espaço e agradecer a todos aqueles que trilharam junto comigo na criação de Dantum, desde o meu grupo fixo: Italo Martins (Artur Tyrondir), Daniel Bomfim (Elros), Daniel De Oliveira (Vekan), Victor Oliveira (Lukian). Aqueles que ajudaram fora do grupo fixo como Flavio Gaspar, Jota nogueira, Milton Figueredo, Thales de Fion ( o gárgula ) e Rickson Vinicius (que me ajuda no jogo via Skype e meu aprendiz)

Quer conhecer um pouco mais sobre Dantum venha jogar no FORPG 2013 e curta a Fanpage do RPG Dantum






Autor: Jan Piertezoon
A Mente maléfica por trás da criação do Blog Filhos da Gehenna, (ir)responsável pela narração da atual crônica do blog apresentado no podcast.  Aficcionado por jogos de interpretação, onde o sistema preferido para as minhas crônicas é o Storyteller & Storytelling. Um colecionador de livros de RPG e um grande consumidor de podcast. RPG Mainstream ou Indie não importa, jogo todos!!!

Autor Jan Piertezoon

A Mente maléfica por trás da criação do Blog Filhos da Gehenna, (ir)responsável pela narração da atual crônica do blog apresentado no podcast. Aficcionado por jogos de interpretação, onde o sistema preferido para as minhas crônicas é o Storyteller e Storytelling. Um colecionador de livros de RPG e um grande consumidor de podcast. RPG Mainstream ou Indie não importa, jogo todos!!!
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

3 Deixe seu relato!!!

  1. Parabéns Lucas...seio que deu trabalho e que finalmente você estar perto de algo que esperava muito!! Divertir seus jogadores com algo totalmente novo e original!! Ansioso :D

    ResponderExcluir
  2. Ainda bem q falou do Milton, eu ia dar na sua cara se vc não fala <3

    ResponderExcluir
  3. Já havia lido a entrevista e agora li novamente. Obrigado pelos agradecimentos, Lucas e parabéns pela entevista. Tenho muito orgulho de ser seu amigo e e poder dizer que aprendi o que sei sobre RPG e narração com você. Nosso MESTRE!

    ResponderExcluir