Select Menu

Narrativas

Narrativas
» » » » O Hobbit: Card Game - Resenha
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga


Essa semana, teremos a tão esperada estreia de O Hobbit: A Desolação de Smaug e para aumentar ainda mais esse sentimento de euforia o Blog Filhos da Gehenna entrou na febre dos Boardgame e Card Game com temática do Hobbit.

A Devir Livraria lançou o jogo de cartas O Hobbit: Card Game no final de dezembro de 2012 [a confirmar], aproveitando o momento favorável para alavancar as vendas do produto, mas foi recentemente que tive a oportunidade de adquirir o jogo no Mundo Multi Games - MMG.

O release oficial:

Neste divertido jogo familiar,o Bem luta contra o Mal, o hobbit Bilbo, o anão Thorin e o mago Gandalf (os personagens do Bem) enfrentam o dragão Smaug e o orc Bolg (personagens do Mal). O jogador que ganha à mão distribui as cartas que ele ganhou entre os outros jogadores. Escolhendo corretamente como as cartas são distribuídas é possível causar dano à equipe adversária e fortalecer a sua própria.

Lançado no ano de 2012 O Hobbit: Card Game ganhou uma certa notoriedade apesar de ser um jogo recente, principalmente por toda  a mídia gerada por causa do filme e das ilustrações de Ted Nasmith. Ted Nasmith é um ilustrador canadense consagrado por suas ilustrações com a temática da obra de Tolkien. O card game foi desenvolvido pelo designer de jogos Martin Wallace bastante conhecido por seus jogos de elaborada estratégica e temas históricos. Apesar de toda a sua bagagem a jogatina de O Hobbit: Card Game é bem simples, comporta de 2 a 5 pessoas, sendo que as partidas duram em média 30 minutos. O jogo possui 65 cartas e vem com um livro de regras, lembrando que tudo em português. O jogo está custando R$26,00 a R$30,00, um preço bastante convidativo.


A jogatina & O básico das regras

Como apresentado no release oficial o baralho pode ser divido entre dois times: os heróis, com Thorin, Gandalf e Bilbo; e o os vilões, com Smaug e Bolg. Após a escolha dos jogadores por qual lado iram jogar, eles recebem uma certa quantidade de cartas, sendo que os vilões recebem cartas extras e antes da rodada começar, devem escolher cartas que serão descartadas.

As cartas são divididas em 5 cores - verde, vermelho, azul, amarelo e roxo numeradas de 1 a 12. O jogador que inicia, será o que possuir o personagem Thorin e depois segue em sentido horário. O primeiro jogador escolhe e coloca em jogo uma carta de uma determinada cor e os demais, se tiverem cartas da mesma cor em mãos, devem colocar em jogo; quem não tiver uma carta da cor inicial, pode usar a que quiser. Vence a rodada o jogador que colocou a carta de maior número da cor inicial - outras cores não contam para vencer a rodada, exceto a roxa, esta cor sempre vence as outras cores e só perdem para cartas roxas de número maior.

O vencedor recolhe as cartas da rodada e redistribui entre os jogadores, causando alguns efeitos secundários, ou seja, algumas cartas, possuem um de três símbolos: uma estrela branca, um elmo preto ou um cachimbo laranja. A estrela branca cura 1 ponto de dano aos heróis, ou causa 1 ponto de dano aos vilões. O elmo negro cura 1 ponto de dano aos vilões, e causa 1 ponto de dano aos heróis. Cada personagem tem dois pontos de vida, O cachimbo laranja permite que, na segunda rodada, o jogador compre 1 carta a mais por cachimbo laranja que tiver, após a redistribuição se inicia uma nova rodada.

Durante o início da segunda rodada a habilidade do personagem vencedor é ativada, dessa forma, a distribuição das cartas muda. O jogo tem a duração de duas rodadas e o objetivo dos heróis é ficar vivo, ou seja, um jogo com três jogadores pelo menos um personagem do Bem deve sobreviver, com quatro jogadores pelo menos dois personagens do Bem devem sobreviver, jogo com cinco jogadores o número de personagens do Bem que sobrevivem é maior ou igual ao número de personagens do Mal, caso contrário ao final da segunda rodada o Mal triunfa.


Conclusões

É um jogo bastante aleatório, deixando pouquíssimo espaço para estratégia, pois nem sempre todas as cartas estão em jogo, impossibilitando dedução da contagem das cartas, dessa forma, se você procura um jogo rápido, divertido e despretensioso... Hobbit: Card Game pode ser uma boa pedida, agora se você é fã da temática de Tolkien é uma compra obrigatória por causa das belas ilustrações. Em breve teremos mais uma resenha, o escolhido será o Boardgame Hobbit.


Quem estiver afim, de conhecer e experimentar O Hobbit: Card Game, esse final de semana estarei no Mundo Multi Game – MMG, local onde tenho comprado os meus boardgame com preço bem bacana e nos dias 21 e 22 de dezembro estarei no FORPG, espero a presença de todos. 

Confira também:



Autor: Jan Piertezoon
A Mente maléfica por trás da criação do Blog Filhos da Gehenna, (ir)responsável pela narração da atual crônica do blog apresentado no podcast.  Aficcionado por jogos de interpretação, onde o sistema preferido para as minhas crônicas é o Storyteller & Storytelling. Um colecionador de livros de RPG e um grande consumidor de podcast. RPG Mainstream ou Indie não importa, jogo todos!!!

Autor Jan Piertezoon

A Mente maléfica por trás da criação do Blog Filhos da Gehenna, (ir)responsável pela narração da atual crônica do blog apresentado no podcast. Aficcionado por jogos de interpretação, onde o sistema preferido para as minhas crônicas é o Storyteller e Storytelling. Um colecionador de livros de RPG e um grande consumidor de podcast. RPG Mainstream ou Indie não importa, jogo todos!!!
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário

Comentarios